Celebrando o Mês do Orgulho LGBTQIA+ e apoiando a comunidade

Junho marca a celebração do Mês do Orgulho LGBTQIA+ para muitas pessoas ao redor do mundo, incluindo os Estados Unidos, onde ocorreram as manifestações de Stonewall, em 1969. As revoltas no Stonewall Inn, em Nova York, e os protestos e marchas que se seguiram são amplamente reconhecidos como o catalisador do movimento pela igualdade e pelos direitos civis para a comunidade LGBTQIA+.

foto
Reprodução

Olhando para trás, nos últimos 50 anos aproximadamente, certamente percorremos um longo caminho até aqui. As marchas e celebrações do Orgulho LGBTQIA+ acontecem em dezenas de grandes cidades ao redor do mundo – e a de São Paulo, no Brasil, é a maior de todas, com menção honrosa no Guinness, o livro dos recordes.

Atletas profissionais, políticos, celebridades e figuras públicas se juntaram à causa e usaram suas vozes e influência a favor dos direitos LGBTQIA+. É graças aos primeiros ativistas e aos defensores da causa atualmente que, hoje, podemos ser quem somos e amar quem escolhemos ser. Muitos países garantem a liberdade civil da população LGBTQIA+ e legalizaram o casamento entre pessoas do mesmo sexo, assim como uniões civis. Mas, embora este seja o momento de celebrar todo o progresso que conseguimos, ainda há um longo caminho a percorrer.

A LGBTfobia continua sendo algo recorrente, e a homossexualidade ainda é criminalizada e demonizada em diversas partes do mundo. Os efeitos devastadores da pandemia da Covid tiveram um impacto particularmente duro na nossa comunidade, uma vez que muitas empresas e famílias LGBTQIA+ foram desproporcionalmente afetadas pelos lockdowns e pela perda de empregos. Muitos jovens não tiveram acesso a espaços seguros, e a crise afetou severamente a saúde mental de todos nós.

Por essas razões, embora seja incrível ver bandeiras arco-íris espalhadas por aí em apoio a nossa comunidade, acredito que é especialmente importante que, neste Mês do Orgulho, façamos mais do que apenas falar do nosso apoio à comunidade LGBTQIA+: precisamos trazer vida para a comunidade.

Desde o momento em que nos posicionamos publicamente para defender o Equality Act até nossa decisão de não abrir novo escritório na Carolina do Norte, após o estado aprovar uma lei discriminatória, o PayPal tem sido um defensor de longa data da igualdade e da inclusão da população LGBTQIA+ e ficamos muito orgulhosos de termos a classificação de 100% no Índice de Igualdade Empresarial da Campanha de Direitos Humanos (HRC) todos os anos desde que nos tornamos uma empresa independente, em 2015.

Como resposta ao número crescente de desafios para garantir os direitos LGBTQIA+, assinamos a Declaração Empresarial em Oposição à Legislação Estatal Anti-LGBTQIA+. Declaramos nossa oposição a toda e qualquer proposta de incluir na legislação dos Estados Unidos emendas que têm como objetivo restringir o acesso das pessoas LGBTQIA+ à sociedade, particularmente jovens transgêneros, seja por promover tratamento inferior para estas pessoas ou efetivamente as excluindo da sociedade.

Deixe uma resposta