festival cinema filmes são paulo
0
Posted in AGENDA
3 de abril de 2018

‘Festival Sesc Melhores Filmes’, o mais antigo de São Paulo, apresenta as produções que se destacaram em 2017

‘Festival Sesc Melhores Filmes’, o mais antigo de São Paulo, apresenta as produções que se destacaram em 2017

Ingressos

Segundas, terças e quintas – R$ 17(inteira); R$ 8,50 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes; R$ 5 (Aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante).

Quartas  e Festival Sesc Melhores Filmes – R$ 12; R$ 6; R$ 3,50.

Sextas, sábados, domingos e feriados – R$ 20; R$ 10; R$ 6.

Programação:

O Apartamento

(Forushande. Dir.: AsgharFarhadi. Irã/França, 2016, 125 min – 16 anos)

O jovem casal Emad e Rana ensaia uma montagem da peça teatral A morte de um caixeiro viajante, de Arthur Miller. Um dia, eles são surpreendidos com o alerta para que todos os moradores do prédio em que vivem deixem o local imediatamente. Devido a uma obra nas proximidades, o prédio corre o risco de desabamento. Diante deste problema, Emad e Rana passam a morar, provisoriamente, em um apartamento emprestado. É lá que Rana é surpreendida com a entrada de um estranho no banheiro, no momento em está tomando banho. O susto faz com que ela se machuque seriamente e vá parar no hospital.

Dia 5/4, quinta, às 14h30

Dia 9/4, segunda, às 21h30

 

ARPILLERAS: ATINGIDAS POR BARRAGENS BORDANDO A RESISTÊNCIA

(Dir.: Coletivo de Mulheres do MAB. Brasil, 2017, 97 min – Livre)

Documentário. As histórias de cinco mulheres atingidas por barragens em cinco regiões brasileiras. Com a chegada de milhares de operários nos pequenos municípios que abrigam os canteiros de obras das hidrelétricas, há um aumento exponencial de assédio sexual, tráfico de mulheres, prostituição e estupro. O filme vai em busca destas histórias para denunciar à sociedade brasileira e internacional a violação de direitos das mulheres, especialmente. E mostra também o protagonismo e coragem destas mulheres na luta pelos direitos. Filme produzido pela Coletivo de Mulheres do MAB – Movimento dos Atingidos por Barragens.

Dia 5/4, quinta, às 17h

Joaquim

(Dir.: Marcelo Gomes, Brasil/Portugal, 2017, 97 min, 14 anos)

A história do que levou Joaquim José da Silva Xavier, um dentista comum de Minas Gerais,a se tornar mais conhecido por sua alcunha, Tiradentes, transformando-se em um importante herói e mártir nacional que veio a liderar o levante popular chamado até hoje de Inconfidência Mineira. Selecionado para a Competição Oficial do Festival de Berlim.

Dia 5/4, quinta, às 19h

Martírio

(Dir.: Vincent Carelli, Brasil, 2016, 160 min, 14 anos).

O retorno ao princípio da grande marcha de retomada dos territórios sagrados Guarani Kaiowá através das filmagens de Vincent Carelli, que registrou o nascedouro do movimento na década de 1980. Vinte anos mais tarde, tomado pelos relatos de sucessivos massacres, Carelli busca as origens deste genocídio, um conflito de forças desproporcionais: a insurgência pacífica e obstinada dos despossuídos Guarani Kaiowá frente ao poderoso aparato do agronegócio. Vencedor do prêmio de melhor filme pelo júri popular e do Prêmio Especial do Júri no Festival de Brasília.

Dia 5/4, quinta, às 21h30

 

Cidades Fantasmas

(Dir.: Tyrell Spencer, Brasil, 2017, 80 min, 10 anos).

Em Humberstone, Chile, resquícios na paisagem e memórias de sobreviventes mal conseguem ilustrar a prosperidade da época em que dali saía boa parte do salitre exportado para todo o mundo. Nas imediações da antiga Fordlândia, Pará, casas hoje ocupadas por posseiros são os últimos sinais de uma cidade norte-americana construída por Henry Ford no auge do ciclo da borracha. Armero, na Colômbia, teve sua população praticamente erradicada pela erupção do vulcão Nevado del Ruiz, em 1985. Vinte e cinco anos depois de ter sido inundada, após a quebra de uma barragem, ruínas da Villa Epecuén, na Argentina, emergiram para expor os restos de uma estação de águas medicinais.

Dia 6/4, sexta, às 14h30

La Vingança

(Dir.: Fernando Fraiha, Brasil, 2017, 90 min, 12 anos).

Após receber uma enigmática mensagem dizendo “Precisamos conversar”, Caco resolve fazer uma surpresa para sua namorada e vai pedi-la em casamento, mas acaba encontrando ela com um argentino. Vadão, o melhor amigo de Caco, arrasta o ex-futuro noivo até a Argentina numa viagem nonsense de busca por vingança. Enquanto Vadão tenta reviver a adolescência com o amigo, Caco segue focado em reconquistar seu amor. Mas nada ocorre como planejado.

Dia 6/4, sexta, às 17h

 

Corpo e Alma

(Dir.: IldikóEnyedi, Hungria, 2017, 116 min, 18 anos).

Maria trabalha há pouco tempo em um abatedouro, onde é responsável pelo controle de qualidade. No almoço na cantina, a jovem sempre escolhe uma mesa isolada onde fica em silêncio. Ela leva seu trabalho a sério e segue estritamente as regras. Seu chefe Endre é pouco mais velho que ela e também é do tipo silencioso. Aos poucos, eles começam a se conhecer, reconhecer seu parentesco espiritual, e ficam impressionados ao descobrir que têm os mesmos sonhos durante a noite. Com cuidado, eles tentam torná-los realidade. Vencedor do Urso de Ouro no Festival de Berlim.

Dia 6/4, sexta, às 19h

 

Com Amor, Van Gogh

(Loving Vincent, Dir.: DorotaKobiela e Hugh Welchman, Reino Unido/Polônia, 2017, 95 min, 12 anos).

A vida e a controversa morte de Vincent van Gogh (1853-1890) são contadas a partir de suas pinturas e dos personagens que as habitam. A narrativa se desenvolve por meio de entrevistas com personagens próximos ao artista e de reconstruções dramáticas dos eventos que o levaram à morte. O filme apresenta seus mais importantes quadros e o enredo é baseado em cartas escritas por ele. Este é o primeiro longa-metragem feito totalmente em óleo sobre tela.

Dia 6/4, sexta, às 21h30

Contatos Imediatos do Terceiro Grau

(Close EncountersoftheThirdKind, Dir.: Steven Spielberg, Reino Unido/EUA, 1978, 135 min, Livre)

Numa noite de céu limpo, Roy Neary (Richard Dreyfuss) passa por uma experiência completamente fora deste mundo. Seu encontro inicia uma série de eventos que o colocam em contato com amistosos seres de outro mundo e sua nave-mãe.

Dia 6/4, sexta, às 23h30

 

Comeback

(Dir.: Erico Rassi, Brasil, 2016, 89 min, 16 anos).

Amador é um ex-pistoleiro aposentado e relegado ao ostracismo. Solitário e amargurado, ele coleciona em um álbum os recortes de jornal de seus crimes antigos. Após várias humilhações, ele vai reagir com violência à hostilidade do mundo que o cerca, ao mesmo tempo em que tentará voltar à ativa. Vencedor do prêmio de melhor ator (Xavier) no Festival do Rio.

Não recomendado para menores de 16 anos

Dia 7/4, sábado, às 14h30

 

Era o Hotel Cambridge

(Dir.: Eliane Caffé, Brasil/França/Espanha, 2016, 99 min, 12 anos).

A inusitada trajetória de um grupo de refugiados recém-chegados ao Brasil que se une aos sem-teto, dividindo a ocupação em um edifício no centro de São Paulo. Na tensão diária pela ameaça do despejo, revelam-se dramas, situações cômicas e diferentes visões de mundo. O filme foi construído através de um processo colaborativo com um grupo de estudantes de arquitetura da Escola da Cidade e o MSTC – Movimento dos Sem Tetos do Centro. Vencedor do prêmio de melhor filme pelo público na Mostra de São Paulo e melhor filme pela crítica e pelo público e melhor montagem no Festival do Rio.

Não recomendado para menores de 12 anos

Dias 7, segunda, às 17h

 

Gabriel e a Montanha

(Dir.: Fellipe Barbosa, Brasil/França, 2017, 131 min, 14 anos).

Antes de entrar para uma universidade nos Estados Unidos, o jovem economista Gabriel Buchmann decide viajar o mundo por um ano. Depois de dez meses na estrada, ele chega ao Quênia determinado a descobrir o continente africano e viaja por dois meses e vários países. Até que, ao chegar ao Malawi, decide subir o Monte Mulanje, que será seu último destino.

Dia 7/4, sábado, às 19h

BladeRunner 2049

(Dir.: Denis Villeneuve, EUA/Reino Unido/Canadá, 2016, 166 min, 14 anos)

Califórnia, 2049. Após os problemas enfrentados com os Nexus 8, uma nova espécie de replicantes é desenvolvida, de forma que seja mais obediente aos humanos. Um deles é K, um bladerunner que caça replicantes foragidos para a polícia de Los Angeles. Após encontrar SapperMorton, K descobre um fascinante segredo: a replicante Rachel teve um filho, mantido em sigilo até então. A possibilidade de que replicantes se reproduzam pode desencadear uma guerra com os humanos, o que faz com que a tenente Joshi, chefe de K, o envie para encontrar e eliminar esta prole.

Dia 7/4, sábado, às 21h30

 

A Bailarina 3D – Cineclubinho

(Ballerina, Dir.: Eric Summer e ÉricWarin, França/Canadá, 2016, 90 min, Livre). França, 1869. Félicie é uma sonhadora menina órfã que decide tomar uma atitude arriscada para conseguir o que quer: foge para Paris com a finalidade de finalmente realizar seu sonho de ser uma grande bailarina. Lá, ela decide se passar por outra pessoa, e consegue uma vaga no Grand Opera, onde acaba se envolvendo em muitas aventuras.

Dia 8/4, domingo, às 11h

Grátis – Retirada de convites com 1h de antecedência.

Participação especial da cantora Fortuna.

 

 

 

RodaGigante

(Wonder Wheel, Dir.: Woody Allen, EUA, 2017, 101 min, 12 anos)

ConeyIsland, década de 1950. Ginny é uma ex-atriz que agora trabalha como garçonete. Casada com Humpty, o operador de carrossel do parque de diversões local, ela sente a vida passar ao largo. Um dia, conhece Mickey, um jovem salva-vidas que sonha se tornar dramaturgo, por quem se apaixona perdidamente. Mas quando Carolina, a filha de Humpty, aparece inesperadamente fugindo do marido mafioso, Ginny se vê dividindo com ela a atenção do jovem amante. Entre as duas nasce uma rivalidade que acaba por colocá-las em uma situação perigosa.

Dia 8/4, domingo, às 14h30

 

Bingo – O Rei das Manhãs

(Dir.: Daniel Rezende, Brasil, 2017, 113 min, 16 anos).

Cinebiografia de Arlindo Barreto, um dos intérpretes do palhaço Bozo no programa matinal homônimo exibido pelo SBT durante a década de 1980. Barreto alcançou a fama graças ao personagem, apesar de jamais ser reconhecido pelas pessoas por sempre estar fantasiado. Uma cláusula no contrato não permitia revelar quem era o homem por trás da maquiagem e Arlindo, ou o novo “rei das manhãs”, se transforma no anônimo mais famoso do Brasil. Esta frustração o levou a se envolver com drogas, chegando a utilizar cocaína e crack nos bastidores do programa.

Dia 8/4, domingo, às 17h

 

Cidadão Kane

(Citizen Kane, Dir.: Orson Welles, EUA, 1941, 120 min, 10 anos)

Dirigido por Orson Welles, o longa conta a ascensão de um mito da imprensa americana. De garoto pobre no interior a magnata de um império do jornalismo e da publicidade mundial. Inspirado na vida do milionário William Randolph Hearst.

Dias 8, segunda, às 19h

 

Extraordinário

(Wonder, Dir.: Stephen Chbosky, EUA/Hong Kong, 2017, 113 min, 10 anos)

AuggiePullman, dez anos, sofre de síndrome de Treacher Collins, uma malformação congênita rara que se manifesta em deformações no crânio e na face e já foi operado diversas vezes ao longo da sua curta vida. Agora que está entrando no quinto ano escolar, seus pais acreditam que é o momento ideal para ele deixar de estudar em casa e se aventurar numa escola normal. Apesar de consciente do grande desafio que tinha pela frente, Auggie não esperava que o seu aspecto físico fosse causar tanta aversão aos colegas. Contudo, à medida que os dias vão passando, acaba por compreender que tudo tem seu tempo, até mesmo a aceitação da diferença.

Dia 8/4, domingo, às 21h30

 

Divinas Divas

(Dir.: Leandra Leal, Brasil, 2016, 110 min, 14 anos).

Rogéria, Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K, Eloína dos Leopardos, Fujika de Halliday, Marquesa e Brigitte de Búzios são ícones da primeira geração de artistas travestis do Brasil. A partir de uma íntima relação com a diretora e com o teatro de sua família, importante palco na trajetória de todas elas, o filme acompanha as personagens no processo de construção de um espetáculo que celebra seus 50 anos de carreira. O filme propõe a compreensão de suas vidas como obras de arte, mas também como ato político no Brasil de ontem e de hoje.

Dia 9/4, segunda, às 14h30

Como Nossos Pais

Não recomendado para menores de 14 anos

Rosa é uma mulher que quer ser perfeita em todas suas obrigações, seja como profissional, mãe, filha, esposa e amante. Quanto mais tenta acertar, mais tem a sensação de estar errando. Filha de intelectuais dos anos 1970 e mãe de duas meninas pré-adolescentes, ela se vê pressionada pelas duas gerações, que exigem que ela seja engajada, moderna e onipresente, uma super mulher sem falhas nem vontades próprias. Até que, em um almoço de domingo, recebe uma notícia bombástica de sua mãe. É quando Rosa inicia uma redescoberta de si mesma.

Dia 9/4, segunda, às 17h

 

La La Land – Cantando Estações

(La La Land, Dir.: DamienChazelle, EUA, 2016,128 min, Livre)

Vivendo em Los Angeles, a aspirante a atriz Mia e o músico de jazz Sebastian lutam para seguir em frente enquanto tentam realizar seus sonhos. Ela trabalha numa cafeteria e faz testes para trabalhos que nunca consegue; ele tenta conseguir dinheiro para abrir seu próprio clube de jazz. Os dois se conhecem por acaso uma noite e não demora para começarem um romance. Juntos, tentarão levar seus sonhos a frente, tendo também que lidar com a realidade.

Dia 9/4, segunda, às 19h

 

A Garota Desconhecida

(La FilleInconnue, Dir.: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne, Bélgica/ França, 2016, 106 min, 12 anos).

Jenny é uma médica dedicada que há três meses passou a trabalhar na vaga deixada por um médico veterano, que foi seu mentor. Bastante atenciosa com seus pacientes, ela fica abalada ao saber sobre o falecimento de uma jovem que procurou a clínica em que trabalha, mas não conseguiu atendimento por ter chegado uma hora após o horário de encerramento. Querendo saber mais sobre esta jovem, ela passa a realizar uma investigação pessoal em busca de sua identidade. Exibido na Competição Oficial do Festival de Cannes.

Dia 10/4, terça, às 14h30

 

O Filme da Minha Vida

(Dir.: Selton Mello, Brasil, 2017, 113 min, 14 anos).

O jovem Tony Terranova precisa lidar com a ausência do pai, que deixou ele e a sua mãe para voltar a viver na França. Professor de francês no colégio da cidade, ele se vê às voltas com seus alunos adolescentes. Apaixonado pelos filmes que vê no cinema da cidade grande, Tony faz do amor e do cinema suas grandes razões de viver.

Dia 10/4, terça, às 17h

 

Juventude Transviada

(Rebel Without a Cause, Dir.: Nicholas Ray, EUA, 1955, 111 min, 14 anos)

Jim Starks (James Dean) é um bom garoto que tomou o caminho errado na vida e ninguém sabe explicar porque. Nem seus professores, nem os policiais que o prenderam mais de uma vez, nem mesmo os pais. Como outros rapazes da classe média, Jim é mais um rebelde sem causa. Ele e o novo garoto na cidade, cuja solidão e raiva espelham os sentimentos dos adolescentes do pós-guerra.

Não recomendado para menores de 14 anos

Dias 10, quarta, às 19h

 

No Intenso Agora

(Dir.: João Moreira Salles, Brasil, 2017, 127 min, 12 anos).

Imagens recolhidas por sua mãe numa viagem à China em 1966 dão ao cineasta João Moreira Salles o fio inicial para este documentário. Colocando em paralelo estas imagens e outras de diversas origens e arquivos, ele capta não só aspectos de sua vida familiar, como os movimentos pendulares que atravessaram alguns dos momentos políticos mais transformadores do século XX – como a Revolução Cultural chinesa, Maio de 1968 na França, a Primavera de Praga e também o sombrio 1968 de um Brasil sendo devastado pela ditadura e o AI-5. Exibido na mostra Panorama do Festival de Berlim.

Dia 10/4, terça, às 21h30

Eu, Daniel Blake

(I, Daniel Blake, Dir.: Ken Loach, Reino Unido/França/Bélgica, 2016, 101 min, 12 anos)

Após sofrer um ataque cardíaco e ser desaconselhado pelos médicos a retornar ao trabalho, Daniel Blake tenta receber o auxílio do governo a pessoas na mesma situação. No entanto, ele esbarra na extrema burocracia instalada pelo sistema, amplificada pelo fato de não lidar bem com novas tecnologias. Em uma de suas várias idas a repartições públicas, Daniel conhece Katie, mãe solteira de duas crianças, que se mudou recentemente para a cidade e também não possui condições financeiras para se manter.

Não recomendado para menores de 12 anos

Dia 11/4, quarta, às 14h30

 

Meu Corpo É Político

(Dir.: Alice Riff, Brasil, 2017, 71 min, 12 anos).

A partir da intimidade e do contexto social dos personagens, o filme levanta questões contemporâneas sobre a população trans e suas disputas políticas. Vivenciando o dia a dia ao lado de diversos ativistas LGBTQ moradores das periferias de São Paulo, o documentário faz um panorama do contexto social em que os personagens estão inseridos e de que forma sua atuação age nas ruas.

Dia 11/4, quarta, às 17h

 

Fragmentado

(Split, Dir.: M. Night Shyamalan, EUA/Japão, 2016,117 min, 14 anos)

Kevin sofre de transtorno dissociativo de identidade: dentro dele existem 23 personalidades distintas. A Dra. Fletcher, uma psiquiatra especializada nesse tipo de distúrbios, se interessa pelo seu caso e acredita que ele tenha o poder de provocar alterações no próprio corpo. Certo dia, Kevin rapta Claire, Marcia e Casey. No cativeiro, elas conhecem as diferentes e assustadoras facetas do raptor, que podem variar entre a inocência de um menino de nove anos, uma mulher autoritária ou um homem com tendências obsessivo-compulsivas. Depois de tentativas de fuga frustradas, elas percebem que só entendendo cada personalidade é que poderão escapar com vida. Mas Kevin parece esconder mais uma nova faceta, que espera o momento certo para se revelar.

Dia 11/4, quarta, às 19h

Corpo Elétrico

(Dir.: Marcelo Caetano, Brasil, 2017, 94 min, 16 anos).

O verão está chegando e Elias tem sonhado muito com o mar. Na fábrica em que trabalha como assistente da estilista Diana, as responsabilidades aumentam à medida em que o fim de ano se aproxima. Depois de uma noite fazendo hora extra, Elias e os operários decidem sair e tomar uma cerveja. É quando novas possibilidades de encontros surgem no horizonte de Elias.

Dia 11/4, quarta, às 21h30

 

 

Seminários

Seminário da Crítica: O Olhar da Crítica Hoje

Mediação Maria do Rosário

A crítica cinematográfica vem expandido, além da academia e da mídia impressa, para diversos territórios, como os blogs, youtube, revistas online e até mesmo podcasts, trazendo novos olhares para o cinema. Convidados: Lully de Verdade (Canal Brasil), Luciana Veras (Revista Continente), Raquel Gomes (Cinematório) e Chico Fireman (filmes do Chico) e mediação Maria do Rosário.

Livre

Dia 6/4, sexta, às 19h30

Ingresso – Grátis

 

 

Seminário da Crítica: Panorama Anual

Mediação Maria do Rosário

Balanço das produções nacionais e internacionais que estrearam no ano de 2017. Mediação Maria do Rosário. Convidados: Rubens Rewald Filho, Luiza Lusvarghi, José Geraldo Couto, Ubiratan Brasil, Cecília Barroso e mediação Maria do Rosário.

Livre

Dia 5/4, quinta, às 19h30

Ingresso – Grátis

 

 

Conversas com LaisBodansky

No evento a diretora é convidada a partilhar sua experiência por meio da mediação de um jornalista e perguntas do público.

Livre

Dia 9/4, segunda, às 19h30

Ingresso – Grátis

 

 

Cinema da Vela Diversidade e Gênero no Cinema

Com Lufe Steffen, René Guerra, Cláudia Priscila

O Cinema da Vela discute a diversidade e o gênero na cinema, pensando a produção de 2017 e filmes como Uma Mulher Fantástica, Divinas Divas, Meu Corpo é Político, Corpo Elétrico, entre outros tantos que estiveram presentes nas salas de cinema do ano anterior.

Livre

Dia 11/4, quarta, às 19h30

Grátis – Sem retirada de ingressos.

Tagged with: ,

Deixe uma resposta