Itaú Unibanco e Mais Diversidade apoiarão, ao longo do próximo ano, oito projetos para impacto positivo na comunidade LGBT+ em todo o País

No Dia Internacional do Orgulho LGBT+, 28/6, o Itaú Unibanco e a Mais Diversidade anunciam os vencedores da terceira edição do Edital LGBT+ Orgulho. A iniciativa foi criada pelas organizações para incentivar ações que promovam e valorizem a causa LGBT+ no Brasil. Foram recebidas 955 inscrições no início deste ano, de todas as regiões do País, que refletem as necessidades e culturas locais.

foto
reprodução

O edital, ação pioneira no Brasil para a população LGBT+, buscou projetos com representatividade regional e que retratam os diferentes perfis geográficos e culturais do País. Também foram inscritas iniciativas com impacto em outros pilares de diversidade (raça e etnia, gênero, pessoas com deficiência, idade e gerações, refugiados e outros grupos sociais) ou conduzidas por pessoas LGBT+. O público-alvo desse programa foram pessoas físicas ou jurídicas, grupos ou coletivos (formais ou informais) que já desenvolvem ou pretendem desenvolver propostas voltadas à comunidade LGBT+.

 

Para Luciana Nicola, superintendente de Relações Institucionais, Sustentabilidade e Empreendedorismo do Itaú Unibanco, os projetos apoiados realizam o potencial transformador da sociedade, um dos princípios que movem o banco. “Por meio do edital, conseguimos apoiar a diversidade e a inclusão de forma continuada, não apenas no mês do Orgulho LGBT+. É importante celebrar e dar visibilidade às questões que envolvem esse grande tema, e é igualmente fundamental atuar todos os dias para a viabilização de iniciativas que apoiam a comunidade”, explica a executiva.

Segundo Ricardo Sales, sócio da Mais Diversidade, a ação vai ao encontro do propósito da Consultoria e Instituto, isto é, de incentivar as pessoas a transformarem a sociedade a partir do seu trabalho. “O edital chega em sua terceira edição demonstrando o poder de transformação da comunidade LGBT+ no Brasil e seu forte potencial empreendedor”, destaca o consultor de diversidade.

Os oito projetos contemplados nesta edição do Edital LGBT+ Orgulho são:

– A Flora Sabonetes Artesanais, de Breu Branco/PA. Visa a geração de renda para a população LGBT+, em especial mulheres trans e travestis, por meio da realização de oficinas, palestras e treinamentos sobre a produção e comercialização de sabonetes, velas e aromatizantes em processo artesanal.

 

– Alimentando Sonhos, de São José do Ribamar/MA. Propõe uma capacitação profissional em panificação e confeitaria aos vulneráveis da população LGBT+ residentes em uma ocupação na periferia da cidade.

 

– Axò, de Cachoeira/BA. Irá promover um grupo e espaço produtivo para confecção e comercialização de artefatos de Orixás, no enfrentamento do desemprego e desigualdades, por meio do empreendedorismo de jovens negros LGBT+.

 

– Costurando Cidadania, de Goiânia/GO. Iniciativa para capacitar pessoas da comunidade LGBT+ local para que possam trabalhar como profissionais no ramo de confecção, criar seus ateliês personalizados ou atuar de forma colaborativa e cooperativa.

 

– Cozinha Trans das Favelas (Agora que são elas), do Rio de Janeiro/RJ. Voltado para empreendedorismo, formação e empregabilidade de mulheres e homens trans de favelas do Rio de Janeiro, com curso de gastronomia e culinária e visando criar uma empresa por meio da qual os participantes oferecerão seus serviços tanto para as comunidades como para órgãos governamentais.

 

– Nossa Voz, de Picos/PI. Projeto que pretende introduzir o debate sobre economia transfeminista entre travestis e transexuais que vivem da prostituição, na perspectiva da economia solidária, do empreendedorismo negro, do empoderamento, da emancipação econômica e da empregabilidade trans.

– Pessoa Desenvolvedora com o Todas As Letras, de São Paulo/SP. O objetivo do projeto é capacitar pessoas LGBT+ com foco na população trans e interseccionalidades, com professores e mentores também LGBT+, para que possam atuar no mercado de tecnologia, com formação de desenvolvedores de programação.

 

– O Protagonismo dos LGBTs Indígenas – O Colorido da Resistência, de Imperatriz/MA. Pretende capacitar, informar, discutir políticas públicas e prevenções no Território Indígena Arariboia no estado do Maranhão, com a produção de um documentário para fortalecer temas importantes para a localidade.

Deixe uma resposta