Luta e resistência: a história de uma mulher trans negra precisa ser ouvida

Em uma sociedade que não dá voz às pessoas trans, a Tocalivros escutou o que Valéria Barcellos tem a dizer e avançou mais um importante passo rumo à representatividade. Valéria é a primeira mulher trans a narrar um audiolivro no Brasil e sua autobiografia Transradioativa, publicado pela Arole Cultural, é o primeiro livro transformado em áudio de uma autora trans no país. A data de lançamento também é cheia de significado: será no sábado (15), Dia Nacional do Orgulho de Ser Travesti e Transexual.

foto
Reprodução

A autora comemora este relevante passo da representatividade, mas também faz uma importante observação: “estamos em 2021 e somente agora temos uma narradora trans. Isso só mostra o quanto o mercado é cruel com as pessoas trans”, constata Valéria, que também foi a primeira trans a receber o troféu “Mulher Cidadã”, maior honraria dada a mulheres no estado do Rio Grande do Sul.

Mais do que aprender com Valéria, que há 30 anos vive na pele as dificuldades de ser uma mulher trans negra no Brasil, Transradioativa é a oportunidade de se emocionar com as memórias da cantora. A coletânea de crônicas sobre negritude e transexualidade, escrita depois que recebeu o diagnóstico de câncer, faz um relato sensível sobre o processo de cura da doença, mas também traz luz para temas como racismo, misoginia e transfobia e ensina que a diversidade está presente nas relações humanas.

Um relato para saber mais sobre Valéria, mas que também faz olhar para si próprio, pois mostra que, mais do que entender conceitos, é necessário aprender sobre humanidade e aceitação.

Ficha técnica:
Audiolivro: Transradioativa
Autora e narradora: Valéria Barcellos
Editora: Arole Cultural
Produção: Tocalivros Studios
Lançamento: 15/05/2021
Link para escutar: https://bit.ly/transradioativa

Deixe uma resposta