Mostra CUIR abre programação de seu ciclo de conversas

Discussões em torno dos projetos artísticos que estão na CUIR — FILME E EXPERIMENTO — AMÉRICA LATINA ganham espaço na programação da mostra a partir desta quarta-feira (09), com a abertura da série de conversas. O ciclo de oito debates é aberto ao público e terá transmissão ao vivo pelo canal da CUIR no YouTube (encurtador.com.br/kAL16). As conversas reúnem conjuntos de artistas com filmes em exibição e contam com a mediação que se alterna entre pesquisadoras e pesquisadores. O encontro de abertura, nesta quarta, às 19h, terá as participações de Ana Carolina Antunes e Luís Fernando Moura, produtora e curador da CUIR, respectivamente, e do pesquisador JoMaKA. Em pauta, o diálogo em torno da mostra, do projeto e da pesquisa que a originam, além dos princípios artísticos e ideológicos, os processos e as descobertas que permeiam as produções convidadas e indicadas para a programação.

“Vou enfatizar a minha perspectiva enquanto artista trans e intersexo neste universo que trabalho com muitos coletivos”, adianta o poeta JoMaKa, que integra a produção da CUIR, na assistência de pesquisa. “Os processos coletivos criativos são muito importantes e, com certeza, vou abordar isso na minha participação. Quero também trazer um pouco dessa etapa da pesquisa, um momento muito importante no qual pude ter acesso a vários materiais de audiovisual e pude compreender mais sobre o universo LGBTQIA+ enquanto produção de cinema. Vamos falar de pornoterrorismo as possibilidades de interseção entre a América Latina, enfim, como essas artes (visuais, plásticas, literatura) podem estar juntas”, completa.

O artista contribuiu com a pesquisa que deu origem à CUIR e, ao lado de Luís e Ana, tem mapeado circuitos de criação LGBTQIA+ em filme, cinema e artes visuais, a partir de uma percepção de que há muita produção, mas pouca circulação e pouco intercâmbio. A CUIR tem a proposta de reunir produções feitas com baixo orçamento e pouco vistas e, assim, fomentar a troca entre artistas e seus respectivos trabalhos, despertando ideias e novas experiências. Até o dia 20 deste mês, a CUIR exibe uma seleção de 42 obras criativas dos diferentes circuitos do cinema independente e das artes visuais que retratam experiências de sexualidade e de gênero. Os títulos são assinados por mais de 30 artistas nascidos no Brasil e em outros seis países da América Latina (Chile, México, Colômbia, Argentina, Cuba e Uruguai) e estão organizados em dez programas, sendo exibidos nas versões português e espanhol.

Os oito encontros da CUIR terão como pontos de discussão questões de interesses cênicos, plásticos, poéticos, discursivos e políticos, a partir de visões e processos criativos de realizadoras e realizadores latino-americanos. As conversas tratam de processos artísticos conduzidos em conjunto e em parceria, de visões autorais em torno de dissidência, experiência e crítica, e da abordagem criativa de imagens, cinefilia e cinema.

Um dos exemplos de trabalho coletivo estará representada na participação da produtora audiovisual Duca Caldeira. “Muito me agrada a possibilidade de compartilhar as minhas andanças e enxergar ao lado delas produções da Anarca Filmes, Dyony (Moura), Jô (Arllen), Vidrynha e As Talavistas, Uýra (Sodoma), Jeisiekê (de Lundu); e tantas outras potências além brasilis, a nível América Latina que evocam grandiosidade, com encontros de fabulação/projeções, partilhas, construções e trajetos”, exalta Duca. Outros pontos a serem abordados neste encontro agendado para sexta (11), às 19h, são a investigação de personagens além de minutagem, a branquitude/cisgeneridade e o cinema com temática/protagonizados por pessoas trans e travestis e processos criativos. Duca participará da conversa “Filmando juntas, passado, presente e ruptura”, ao lado de Darlene Valentim, Dyony Moura, Gabriela Luíza, Marli Ferreira e Pink Molotov, mediada pela pesquisadora e crítica de cinema Kênia Freitas.

Entre os convidados internacionais, a CUIR contará com a participação da videoartista mexicana Ximena Cuevas. Ela participará do encontro “Retomando ‘identidade, sexualidade e política’”, em uma conversa mediada pelas curadoras da chispa, Gabriela Albuquerque e Marcela Santos. No encontro, ela comentará a curadoria antes programada no Videobrasil 2001 por Priamo Lozada, e reintroduzida na CUIR. Além de abordar a atualidade dos oito filmes apresentados na CUIR, Ximena vai falar sobre seus métodos, filiações e processos e sua relação com imagem, tecnologia, corpo, subjetividade e nacionalidade. Este encontro será no dia 15 de junho, às 19h.

Sobre a CUIR

A CUIR exibirá produções artísticas em formatos diversos, entre a ficção, o ensaio, a performance, a videoarte e o videoclipe, em sua maioria de curta duração. O curador Luís Fernando Moura explica que emblema do “cuir” surge como “uma resposta das políticas, da pesquisa e das artes do sul global a maneiras de descrever dissidências sexuais e de gênero – ‘queer’ –, pondo em relação movimentos de resiliência, de afirmação e de invenção”. Em suas palavras, “a mostra nota como essa reação, expandindo limites da imaginação coletiva, explora aqueles do que se entende por filme, sendo incontornável aos rumos contemporâneos das artes e das histórias das poéticas, das culturas ou do ‘cinema’. Ao fim, o que se cria em imagem extravasa o projeto da sua própria descrição”, completa.

A proposta da CUIR consiste em apresentar um recorte de filmes produzidos no âmbito dessas redes de criação e promover diálogos em torno delas, valorizando traços de invenção e proposição artística e política. A mostra aposta na introdução de filmes originais e particulares, muitas vezes com circulação reduzida a circuitos locais, e em diálogos desdobrados a partir destes trabalhos, por meio de cartas brancas de curadoria e através de conversas com as realizadoras e realizadores.

Ciclo de Conversas – Programação

 

09/06, quarta | 19h | SOBRE A MOSTRA

Diálogo em torno da mostra, e do projeto e da pesquisa que a originam. De princípios artísticos e ideológicos a processos, descobertas e desenho apresentado. Com Ana Carolina Antunes, produtora da mostra; JoMaKA, pesquisador; e Luís Fernando Moura, curador da mostra.

11/06, sexta | 19h | FILMANDO JUNTAS, PASSADO, PRESENTE E RUPTURA

A realização de Sessão bruta, as descobertas do processo coletivo de concepção, filmagem, retomada e montagem, e as correspondências criativas e políticas entre as artistas e entre os seus filmes. Com Darlene Valentim, Duca Caldeira, Dyony Moura, Gabriela Luíza, Marli Ferreira e Pink Molotov. Mediação: Kênia Freitas, pesquisadora e crítica de cinema

12/06, sábado | 15h |CUIR, DOCUMENTO E REVOLUÇÃO, HISTÓRIA E FRONTEIRA

A abordagem de histórias e imaginários nacionais, chileno ou colombiano, iberoamericano ou latinoamericano, por meio de retomadas iconoclastas e anarquivistas de documentos, culturas e fronteiras. Convidada e convidado comentam seus processos criativos e princípios políticos. ´

Com Felipe Rivas San Martín e Nadia Granados. Mediação: JoMaKA, pesquisador e poeta; Luís Fernando Moura, curador da mostra.

15/06, terça |19h | RETOMANDO “IDENTIDADE, SEXUALIDADE E POLÍTICA”

Ximena Cuevas comenta a curadoria antes programada no Videobrasil 2001 por Priamo Lozada, e reintroduzida na mostra. Seus métodos, filiações e processos, sua relação com imagem, tecnologia, corpo, subjetividade e nacionalidade. A atualidade dos filmes apresentados.

Com Ximena Cuevas. Mediação: Gabriela Albuquerque e Marcela Santos, curadoras da chispa

16/06, quarta | 15h | USOS POLÍTICOS DO PORNÔ, A CRÍTICA, O ELO E A FÁBULA

Dois universos contemporâneos em tomada política da pornografia, ou da pós-pornografia. De um lado, esse campo de criação é desviado pelo ativismo, pela crítica histórica e pela investida anticolonial. Do outro, é meio para fabular e buscar amizade e vínculo. Projetos artísticos em muito diferentes compartilham uma conversa.

Com JorgeTheObscene, Edgardo Castro e MariaBasura. Mediação: Matheus Araujo dos Santos, pesquisador de cinema.

17/06, quinta | 19h | QUEER, EXPANSÕES CRIATIVAS E AS VIZINHANÇAS DO CINEMA

Integrantes dos coletivos Surto & Deslumbramento e Anarca Filmes tratam de processos artísticos conduzidos em conjunto e em parceria, de suas visões próprias em torno de dissidência, experiência e crítica, e da abordagem criativa de imagens, cinefilia e cinema. Com Amanda Seraphico, André Antônio, Clarissa Ribeiro, JEAN, Lorran Dias e Rodrigo Almeida. Mediação: Rita Vênus, curadora e pesquisadora de cinema e artes visuais

18/06, sexta | 19h | AFINIDADES E EXPERIMENTOS DE NORTE E SUL

Entre Cuba e Uruguai, buscas diversas com imagem, ponto de vista e identidade se encontram. Realizadoras e realizadores apresentam suas visões e processos criativos, e a curadora Maria Nela Lebeque Hay, também moderadora, comenta o conjunto de intercâmbios e sua própria investigação de cinemas contemporâneos.

Com Domenica Pioli, Raydel Araoz, Roger Gutiérrez e Sofía Martínez. Mediação: Maria Nela Lebeque Hay, curadora; e Luís Fernando Moura, curador da mostra.

19/06, sábado | 15h | PERFORMANCE EM FILME, CENA E CONTRA-HISTÓRIA

As artistas tratam da performance em filme como projeto artístico e como meio para o comentário social, cultural e histórico. Apresentam e discutem as criações que exibem na mostra e seus interesses cênicos, plásticos, poéticos, discursivos e políticos.

Com Ani Ganzala Lorde, Jeisiekê de Lundu, Kátia Sepúlveda, Keila Serruya Sankofa e Marissa Lobo. Mediação: Fabio Rodrigues Filho, pesquisador e curador de cinema.

 

Serviço

CUIR – FILME E EXPERIMENTO – AMÉRICA LATINA

07 a 20 de junho de 2021

on-line | cuirfil.me | gratuita

contato@gay.tur.br

E-MAIL: contato@gay.tur.br

Deixe uma resposta