Praia de Muro Alto, em Ipojuca-PE, terá condomínio com a certificação de sustentabilidade AQUA-HQE

A praia de Muro Alto, no município de Ipojuca − próxima a Recife e Porto de Galinhas − ganhará um condomínio residencial concebido com os mais elevados níveis de desempenho ambiental e de sustentabilidade do mundo, o Cais Eco Residência. O projeto, da DUE Incorporadora e da Árbore Signature, acaba de conquistar a certificação de origem francesa AQUA-HQE (Alta Qualidade Ambiental), adaptada ao Brasil e chancelada pela Fundação Vanzolini.

foto
Reprodução

Com estrutura concebida para valorizar as raízes da cultura brasileira, o Cais Eco Residência reunirá conforto, saúde e lazer, representando um dos empreendimentos de menor impacto ambiental do Nordeste. A Muro Alto possui águas cristalinas, arrecifes que formam piscinas naturais e uma vasta reserva de Mata Atlântica. O município de Ipojuca é 9º destino de férias mais procurado no país.

Para Ana Rocha, presidente da proActive, Consultoria em Gestão de Projetos Sustentáveis, “o Cais é um empreendimento que desde o projeto possui compromisso com o desenvolvimento sustentável. Contribuir para a escolha das melhores soluções e que garantam um alto engajamento ambiental foi muito gratificante para a proActive. Um trabalho desenvolvido por uma equipe multidisciplinar, colocando acima de tudo o respeito aos interesses de todas as partes envolvidas. É um empreendimento que está ressignificando os padrões de sustentabilidade do mercado”.

A qualidade de vida terá como pano fundo o respeito à natureza. O conforto térmico foi pensado para acontecer, na maior parte do tempo, de forma natural. As lajes da cobertura receberão um tratamento térmico (isolamento) específico e as unidades terão ventilação cruzada. A fachada será projetada com vistas a reduzir a transmitância de calor. A implantação das torres garantirá a permeabilidade do sol e dos ventos com conforto, e valorizará o acesso às vistas da paisagem da praia.

foto
Reprodução

De acordo com Manuel Carlos Reis Martins, coordenador da certificação AQUA-HQE, “as diretrizes do sistema de gestão ambiental implantadas na concepção do projeto do Cais Eco Residência visam garantir o mais elevado patamar de desempenho em conforto, saúde e meio ambiente para o complexo a ser implantado na praia de Muro Alto”.

Pontos para carregamento de carros elétricos, bicicletário, espaços para coleta seletiva de resíduos nos apartamentos e em áreas comuns, conforto térmico, luminoso e acústico formam um conjunto de atributos que se destacam nas soluções escolhidas. Para garantir eficiência energética, o empreendimento contará com energia renovável fotovoltaica nas áreas comuns. E uma equipe especializada indicou as melhores soluções nas composições da fachada e equipamentos de refrigeração a serem utilizados no empreendimento.

O projeto paisagístico buscou valorizar a paisagem litorânea, preservando ao máximo os coqueiros existentes, além de propor soluções que garantem a permeabilidade do solo para infiltração das águas pluviais. O Cais Eco Residência contará com apartamentos de 1, 2 e 4 quartos, 126 unidades com piscina privativa e varanda gourmet. Áreas comuns mobiliadas e alimentadas com energia solar e mais de 40 atividades de lazer no condomínio. Um paraíso com 6 complexos aquáticos.

Adailton Santos, Diretor da DUE Incorporadora, destaca que “o respeito às pessoas e à natureza está presente desde a idealização do projeto. E é com muito trabalho, ideias inovadoras e a vontade de fazer algo especial, que o Cais está sendo concebido. Receber a certificação AQUA-HQE só confirma que a Due e a Arbore estão no caminho correto, com propósito e compromisso com o futuro”.

Conheça as soluções de sustentabilidade:

• Redução dos impactos visuais relacionados à implantação do empreendimento possibilitada pela adoção de partido arquitetônico dinâmico nas fachadas • Tratamento paisagístico dos espaços externos com áreas vegetalizadas e agradáveis na calçada dos acessos ao empreendimento e térreo;

• Criação de áreas externas com iluminação artificial confortável, que impactem positivamente no entorno;

• Favorecimento da qualidade e segurança dos deslocamentos de pedestres e da utilização de transportes menos poluentes, a partir da separação efetiva entre os acessos de pedestres e veículos, da criação de áreas de circulação exclusivas para pedestres dotadas de iluminação confortável e eficiente, superfícies vegetalizadas e materiais adequados;

• Bicicletários localizados em área com proteção adequada e acesso controlado pelo condomínio;

• Ponto para recarga de veículos elétricos localizado no pavimento garagem;

Redução do consumo de água potável estimada entre 40 e 50%, possibilitada pela instalação de sistemas economizadores (bacia de duplo fluxo, torneiras de fechamento automático mecânico nos banheiros das áreas comuns, chave restritora nas torneiras externas);

• Emprego de torneiras com arejadores que proporcionam a redução do consumo, sem diminuir o conforto do usuário pela mistura água/ar nas áreas comuns;

• Medição individualizada e setorizada a partir da instalação de medidores individuais de água no ramal de alimentação de água fria de cada unidade habitacional, reduzindo o consumo de forma consciente;

• Efetivação da coleta seletiva de resíduos, possibilitada pela existência de áreas específicas nas unidades habitacionais para o armazenamento temporário de resíduos; e áreas para a segregação dos resíduos na unidade habitacional e na área comum do edifício;

• Redução do consumo de energia elétrica, possibilitada pela disponibilização de sistema de energia renovável (solar) para a produção de energia elétrica;

Utilização de lâmpadas eficientes, especificadas a partir de sua classificação pela Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE) do Procel;

• Sensores de movimento que evitam o uso desnecessário da iluminação artificial; e pela especificação de equipamentos mais eficientes, com melhor nível de desempenho energético;

• Redução de impactos ambientais na execução e operação da obra com a especificação de materiais sustentáveis e de qualidade, fabricados o mais próximo possível da obra, minimizando impactos com o transporte;

• Redução da emissão de poluentes e garantia da saúde dos usuários a partir da especificação de pintura com baixo teor de COVs (compostos orgânicos voláteis), como tintas e solventes a base de água, ou que façam parte do programa Coatings Care);

Favorecimento do conforto higrotérmico com tratamento térmico (isolamento) de lajes com tratamento da cobertura e ventilação cruzada em unidades, composição da fachada de maneira a reduzir a transmitância térmica, entre outros;

• Conforto acústico com a contratação de consultoria especializada, a fim de propor soluções para atendimento dos parâmetros de conforto.

 

Deixe uma resposta