Documentário sobre vivências de pessoas trans tem visibilidade e destaque nacional e será lançado neste mês

Aprovado pelo Edital “Criação e Formação Diversidade das Culturas” da Sedac em parceria com a Fundação Marcopolo, um dos mais importantes da história do sul do país, o filme documentário “Intransitivo: um documentário sobre narrativas trans” conta as histórias de vida de oito pessoas trans de diferentes pontos do Rio Grande do Sul. O pré-lançamento vai acontecer por um Sarau artístico no dia 24 de setembro, sexta-feira, às 19h na plataforma Zoom. A venda de ingressos estará disponível a partir do dia seis de setembro pelo Sympla e tem o intuito de ajudar na arrecadação de fundos para que a equipe possa pagar por demandas que o financiamento não cobriu, além de tornar o acesso do filme mais acessível para pessoas com deficiência visual e auditiva e, ainda, doar parte do valor para projetos sociais diretamente ligados à produção do documentário.

foto
Reprodução

O Sarau contará com a participação de toda a equipe de produção, pessoas entrevistadas e artistas trans conhecidos nacionalmente, como Luca Scarpelli, Valéria Barcellos, Nick Cruz, Indra Haretrava, Jupi77er e Thaj Marral; e também artistas trans do interior do Rio Grande do Sul como Zaire, Vi8888tt, Kill Six e Ruya. Fazem parte das ações de divulgação do filme a entrega de um press kit para pessoas trans influencers que são referência para a equipe de produção. Essa ação teve contribuição e contato direto de pessoas importantíssimas para o ativismo trans nacional, como Erika Hilton, Maitê Schneider, Jonas Maria, Gabriela Loran, Luca Scarpelli, Leandrinha Du Art, Renata Carvalho, Miguel Filpi, Giovanna Heliodoro, Serginho, Gabriel Lodi, Stefan Costa, Kollinn, Marina Reidel e Regininha.

No país que figura como líder no ranking dos que mais matam pessoas trans no mundo, pelo 13º ano consecutivo, mostrar narrativas que escapam dessa previsão é a tentativa do time formado por Gabz 404, Gustavo Deon, Lau Graef e Luka Machado; que percorreu o estado com o propósito de criação de um material consistente, educativo, diverso e representativo. O documentário tem como base duas linhas narrativas; a primeira, e principal, composta pelas entrevistas em profundidade que tem como objetivo a busca por uma multiplicidade de vivências, abordando questões diretamente relacionadas a transição e também a outros atravessamentos identitários, tais como, classe, raça, idade, sexualidade.

A segunda é o backstage, ou por trás das câmeras; configurando uma estética de road movie, gênero cinematográfico que aborda um enredo que se constitui pelo deslocamento em busca de algo ou alguém, experiências vividas pela equipe de produção durante as gravações, conversas entre a equipe, discussões
sobre os temas abordados e também vivenciando suas relações interpessoais durante as viagens para gravação das entrevistas. Durante a única semana em que ficou on-line o formulário de inscrições para a seleção, foram 304 respondentes e mais de 100.000 visualizações no Instagram. A ideia do longa-metragem é que o material registrado traga histórias e percepções mais profundas, realistas e diversas por serem conduzidas por pessoas
trans. “Se calar é contribuir com os dados de transfobia, não compartilhar nossas vitórias é contribuir com as taxas de suicídio entre os nossos”, equipe enfatiza. Para saber mais sobre a história das oito pessoas entrevistadas, é possível acompanhar a produção do filme pelo perfil @instransitivo.doc no Instagram e se manter atento para o pré-lançamento do filme ou esperar um pouquinho mais e assistir de forma gratuita pelo YouTube.

Para mais informações sobre lançamento ou formas de apoiar o projeto entre
em contato com a equipe através do email intransitivodoc@gmail.com

 

Deixe uma resposta