Festival Plural – Música e Diversidade

Chega à sua segunda edição o Festival Plural – Música e Diversidade e descortina, em seu palco virtual – youtube.com/c/FestivalPlural, shows, mostra de cinema, concurso fotográfico e atividades formativas voltadas para todos, todas e todes. O Festival, que será promovido entre os dias 13 e 18 de setembro, é uma produção da Bloco B e Instituto Transforma, realizado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura do Distrito Federal com patrocínio da Oi e apoio cultural do Oi Futuro.

foto
Reprodução

Pautado no empoderamento das expressões de diversidade, luta contra LGBTfobia e educação para todos/as/es, participam desta nova edição do Festival personalidades das artes e da política cuja atuação dialoga com movimentos contemporâneos de equidade de gêneros, democratização, pluralidade, respeito e reflexão.

Realizar um projeto com este formato, para o curador e diretor artístico Yuri Rocha, é “insistir em presenças e conversas que constroem um pensamento mais humano e respeitoso com o mundo e produz uma relação de reflexão com a sociedade, de aceitação e de enfrentamento, como uma luta contra o retrocesso”, aponta Yuri.

Reverberadas através das artes, essas ações de enfrentamento ganham protagonismo no Festival, que convidou para sua nova edição o cantor e letrista pernambucano Johnny Hooker e a cantora mineira Urias. Compõem ainda a programação musical Mar Nóbrega & Carol Nóbrega, Haynna e os Verdes, Moara e Rosa Luz, que são de Brasília, região sede do Festival.

Visibilidade LGBTQIAP+ aliada à construção de novos padrões de comportamento, ganha as telas do público do Festival em uma Mostra de Filmes, curtas-metragens. A mostra, em parceria com a 14ª edição do festival cearense For Rainbow – Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual e de Gênero, idealizado por Verônica Guedes, prestigia curtas nacionais de protagonismo Queer que dialogam com a realidade das minorias e não reproduzem relações homoafetivas pautada pela heteronormatividade.

O Plural também abraça as artes cênicas e visuais com apresentações de performers, sendo Élle de Bernadini, Denilson Tourinho, Kael Studart e Jaja Rolim. No campo das artes visuais, um concurso vai premiar 10 fotografias enviadas pelo público. Convidado para somar à programação, fazendo-a chegar a um público mais expressivo, o ativista e influenciador digital Spartakus irá cobrir e comentar ações pontuais do Festival.

A cena Ballroom volta a ganhar protagonismo nesta 2ª Edição de Plural com a realização do Baile das Casas em parceira com a COB.TV, plataforma de difusão da cultura Ballroom no Centro Oeste do Brasil com foco no público LGBTQIAP+, preto e periférico.

A trocas de saberes, fortalecimento da autoestima, inclusão trabalhista e empoderamento das pautas anti-LGBTfóbicas se darão em duas Rodas de Conversa sob os temas “A Resistência e a Representatividade LGBTQIA+ no Parlamento Brasileiro”, com quatro parlamentares e mediação de Érika Loka Carvalho; e “Economia e Mercado Cultural LGBTQIAP+”, com Artur Santoro (produtor), Barbara Iara Hugo (curadora de Artes Visuais), Mc Delacroix (rapper), Dário Bezerra (For Rainbow) e Sandro Rosa (Oi Futuro), com mediação de Marta Carvalho. O festival oferece, também, duas oficinas de Introdução à Produção Musical e de Vogue.

Segundo Yuri, em Plural “queremos contribuir com a ampliação da visibilidade LGBTQIAP+, no que se refere às questões dessa população, abrindo espaço para a expressão e fruição dos valores artísticos disponíveis em quantidade e qualidade no Distrito Federal e em todo o país”.

Na primeira edição, o Festival contou com 26 convidades naturais de sete estados brasileiros, que preencheram as mais de 12 horas de programação assistida por mais de 12 mil pessoas de todo o Brasil. Também realizada de maneira virtual, em razão da pandemia de Covid-19, a primeira edição tem toda sua programação disponível no canal do Festival: youtube.com/c/FestivalPlural.

Minibiografia das atrações:

Johnny Hooker despontou com o álbum “Eu Vou Fazer Uma Macumba pra Te Amarrar, Maldito!” que rendeu o Prêmio da Música Brasileira de Melhor Cantor e figurou entre os melhores de 2015 da Revista Rolling Stone. Seu 2º álbum solo “Coração” gerou uma aclamada participação no Rock in Rio 2017. Seu single “Flutua” foi premiado como Clipe do Ano no MTV MIAW 2018. Suas músicas e vídeos possuem mais de 70 milhões de streamings/views e já fizeram parte de seis trilhas sonoras de programas da TV Globo.

Urias começou a cantar interpretando canções de O Rappa e Alcione, desfilou na São Paulo Fashion Week, na Casa de Criadores e é embaixadora da Adidas na América Latina. Hoje, se prepara para lançar no segundo semestre a continuação de seu primeiro álbum, “Fúria”, que teve a primeira parte divulgada em maio, com os mesmos produtores que assinam trabalhos de Pabllo Vittar, Anitta, Iza e Ludmilla. A parte I do projeto trouxe singles como “Foi Mal” e “Peligrosa”, ambas lançadas recentemente e que já somam com os clipes mais de 1 milhão de visualizações no YouTube. E para aqueles que duvidam dessa força, fica o convite para conhecer o próximo single de Urias previsto para meados de outubro.

Dona de voz potente, Moara tem dois EPs lançados. Em 2021, entre 20 vagas mundiais, ficou em primeiro lugar no festival francês Rootstock Music. No ano de 2019, teve seu EP “Do começo ao fim?” indicado aos 20 melhores EPs do ano pelo portal MultiModo e, em 2018, foi indicada na categoria “discos de MPB” pela Folha de S. Paulo ao lado de nomes como Elza Soares e Gal Costa. Moara já se apresentou em festivais como Afete-se, Rootstock Music Festival, COMA, SIM São Paulo entre outros.

Haynna e Os Verdes é uma banda samambaiense que surgiu em 2016. O álbum de estreia homônimo, em novembro de 2018, conta com 11 faixas e foi indicado em duas categorias do Prêmio Profissionais da Música 2019, como melhor intérprete de rock e melhor intérprete de blues, finalista nesta última. Formada por Haynna, Dani da Silva, Jhonata Pikeno, Rian Sodré e Ricelly Lopez, a banda é conhecida por se apropriar de ritmos negros que embranqueceram como o rock, o blues e o brega.

Mar Nóbrega, não binárie, é compositore, multi-instrumentiste e produtore musical, trabalha com sua irmã Carol Nóbrega na produção musical e violoncelo. Mar participa como instrumentista em vários grupos brasilienses, entre eles Puta Romântica e Sereia Luzia da Estrela Molhada. Carol Nóbrega fez sua carreira no Sul da Bahia e é compositora e multi-instrumentista.

Ros4 Luz é artista visual, rapper e criadora de conteúdo. Participou do Youtube NextUp 2017, Youpix Builders 2018, foi Alumni do U.S. Department of State, em 2019, e Embaixadora Rujan Brasil 2021. Participou dos filmes “Chega de Fiu-Fiu” e “Estamos Todos Aqui”. Lançou seu 1º EP, Rosa Maria Codinome Rosa Luz, em 2017, e em 2021 lança seu 2º, Deise Ex Machina, com apoio da União Libertária de Pessoas Trans e Travestis. Já cocriou projetos para ONU Brasil, All Out International e Netflix.

Spartakus Santiago é youtuber, apresentador da MTV, top 20 criadores negros mais inovadores pela Forbes. É formado em Nova York pela Miami Ad School. Utiliza as suas plataformas para falar sobre questões sociais através da cultura pop, analisando álbuns e clipes de artistas como Lady Gaga e Beyoncé.

O Plural cria ambiente virtual para o olhar do público através das câmeras com um: Concurso de fotografia

Com o tema Viver, a comunidade LGBTQIAP+ é convidada a compartilhar imagens que concorrerão a prêmios em dinheiro

Curadores convidades pelo Festival irão selecionar 30 fotos do público [exclusivamente LGBTQIAP+, acima de 18 anos]. Para participar, fotógrafos amadores e/ou profissionais, devem postar seus cliques – sob o tema “Viver” – no perfil seu pessoal do Instagram, marcar o Festival (@festival.plural) e legendá-la com a hashtag #instaplural2021. Ainda, devem preencher o formulário de inscrição disponível na bio do perfil do Festival.

As fotos selecionadas, expostas no feed do Festival, que ganharem mais curtidas e compartilhamentos receberão os prêmios, além de participar de uma exposição on-line no canal do YouTube do Plural. Serão dois prêmios de R$400; quatro de R$200; e quatro de R$100.

As inscrições ficam abertas de 10 a 25 de agosto, e a votação popular de fotos selecionadas e publicadas no perfil do Festival ocorre de 29 de agosto a 8 de setembro.

 

A COB.TV – Central Online Ballroom, em parceira com o Festival Plural, apresenta: O Baile das Casas

A cultura Ballroom do DF em revista com performances artísticas que expressam a cena

No baile, as Casas de Ballroom [do DF] se apresentam em categorias que expressam as vertentes da cena como dança, moda e estéticas/expressões corporais. Cabe a um júri decidir qual se destaca e leva as premiações. Em todas as seis categorias, será avaliado o resultado do trabalho em conjunto, a sincronia e autoconhecimento.

A COB.TV, realizadora do Baile, surgiu em 2018 com a proposta de difusão digital da Cultura Ballroom com foco no público LGBTQIAP+, preto e periférico. A plataforma funciona como um acervo de arquivos para o registro histórico, mantendo assim o compromisso com a comunidade de ter sua história contada, garantindo a democratização do acesso à informação.

Todas as cores da bandeira arco-íris representadas no:

Mapeamento LGBTQIAP+ do DF

Iniciado na primeira edição do Plural, o Mapeamento LGBTQIA+ e Guia Cultural do DF vem reunindo dados a fim de retratar um panorama de manifestações artísticas e culturais representativas para a comunidade LGBTQIAP+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, queers, intersex, assexuados, não-binários, pansexuais e entre outras formas de identificação de gênero e sexualidade) no Distrito Federal. Produtores do Festival seguem na busca ativa de dados a informações a comporem o mapeamento, que já conta com mais de 100 artistas cadastrados, disponível em www.festivalplural.com.br.

Serviço:

Festival Plural – II Edição

De 13 a 18 de setembro de 2021

Local: Canal do Festival no YouTube – www.youtube.com/festivalplural

Classificação indicativa: Livre para todos os públicos

Bilheteria: Acesso gratuito

Informações: @Festival.Plural, no Instagram, e @Plural.Festival, no Facebook

Patrocínio: Oi

Apoio: Oi Futuro

 

Programação:

13/09 (segunda-feira)

15h às 18h – Oficina de “Introdução à Produção Musical com o Logic PRO”, com Malka Julieta

14/09 (terça-feira)

15h às 18h – Oficina de “Introdução à Produção Musical com o Logic PRO”, com Malka Julieta

19h – Roda de Conversa sobre “A resistência e a Representatividade LGBTQIA+ no Parlamento Brasileiro”

Com: David Miranda (Deputado Federal/RJ), Fábio Félix (Deputado Distrital/DF). Filipa Brunelli (Vereadora/Osasco) e Thainara Faria (Vereadora/Araraquara)

Mediação: Érika Loka Carvalho

20h30 – Vídeo Performances com Denilson Tourinho (BH) e Kael Studart (DF)

21h – Mostra de Filmes, curtas-metragens

15/09 (quarta-feira)

15h às 18h – Oficina de “Vogue”

19h – Roda de Conversa, sobre “Economia e Mercado Cultural LGBTQIAP+”

Com: Artur Santoro (Produtor), Barbara Iara Hugo (Curadora de Artes Visuais), Mc Delacroix (Rapper), Dário Bezerra (For Rainbow) e Sandro Rosa (Oi Futuro)

Mediação: Marta Carvalho

20h30 – Vídeo Performances com Élle de Bernardini (SP) e Jaja Rolim (PT/DF)

21h – Mostra de Filmes, curtas-metragens

16/09 – (quinta-feira)

19h – Live com Spartakus (BA)

20h – Baile das Casas

17/09 (sexta-feira)

– Mostra de Fotografia

20h – Rosa Luz (DF)

– Haynna e os Verdes (DF)

– Johnny Hooker (PE)

18/09 (sábado)

– Mostra de Fotografia “Viver”

20h – Moara (DF)

– Már Nóbrega e Carol Nóbrega (DF)

– Urias (MG)

Deixe uma resposta