OLHARES DE PERFIL – O MITO GRETA GARBO FAZ ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES EM SÃO PAULO

O espetáculo OLHARES DE PERFIL – O MITO GRETA GARBO, que usa o mito de Greta Garbo para falar sobre ambiguidade, faz as últimas apresentações na capital paulista. Com sessões dias 9, 10, 16 e 17 de outubro,
sábados às 20h e domingos às 19h, no Teatro Commune, a montagem com direção de Roberto Cordovani, que está no elenco ao lado dos atores Ruben Gabira e Alan Ferreira usa o mito de Greta Garbo para falar sobre ambiguidade, gênero e amores platônicos. No palco, Cordovani dá vida ao performer Gustafsson (sobrenome verdadeiro de Greta Garbo), que se apresenta em um teatro off Broadway imitando a atriz, até que começam a desconfiar que ele seja na verdade a própria Garbo. Em 1940 Greta Garbo é indicada pela terceira vez ao Oscar pelo filme Ninotchka e nesse mesmo ano a atriz desaparece da mira dos chefões da Metro Goldwin Mayer e da mídia. É nesse período, quando a atriz começa a se afastar das rodas sociais, que o enredo se desenrola.

foto
Reprodução

Além da ambiguidade de Gustafsson, há o jogo duplo dos personagens que contracenam com o performer, divididos entre proteger e expor o enigma. Ruben Gabira, do musical Priscilla, a Rainha do Deserto e das novelas Novo Mundo e Verão 90 (TV Globo) dá vida a dois personagens (o enigmático manequim e a escritora Jane Suset) e Alan Ferreira, dos espetáculos Vestido de Noiva, Gota D’Água e Na Medida que a Lágrima Cai interpreta o fotógrafo Jorge. Para Roberto Cordovani o espetáculo joga com a ambiguidade, não apenas com a ambiguidade sexual da mulher mais desejada do mundo nos anos 30, mas também fala sobre o outro, a problemática das relações e os amores platônicos.

“Greta Garbo não podia ser personagem mais adequada para se falar sobre o homossexualismo. Ela era homossexual, mas Hollywood a apresentava como uma mulher fatal. Politicamente, tinha ideais revolucionários
de esquerda, mas trabalhava para a máquina capitalista do cinema norte-americano. Até hoje se especula por que ela abandonou as telas e a vida pública em 1941, vivendo de maneira reclusa até 1990, quando morreu, em
Nova York”, explica ele.

Mais de 1800 apresentações
OLHARES DE PERFIL – O MITO GRETA GARBO estreou em 1987 na cidade de Vigo, na região espanhola da Galícia. De lá pra cá Roberto Cordovani recebeu vários prêmios, entre eles o de melhor ator no Charrington London
Fringe Awards, em Londres (Inglaterra) e no Festival de Otoño, em Madri (Espanha). A montagem também foi premiada no Fringe Special Award Edinburgh (Escócia) como melhor espetáculo.

Escrito pela autora argentina Alejandra Guibert e pelo próprio Roberto Cordovani OLHARES DE PERFIL – O MITO GRETA GARBO acumula mais de 1.800 apresentações em 320 cidades de nove países e 14 prêmios internacionais.
A peça, que traz uma estética nostálgica dos anos 40 em Nova York, apresenta um cenário minimalista em uma mescla de glamour e simplicidade. Acompanhando os tons mais escuros do cenário, o figurino – todo restaurado e modernizado – é predominantemente preto com destaque para uma criação de Coco Chanel. De acordo com Roberto Cordovani, Garbo se transformou na estrela que deixa a tela em circunstâncias suspeitas perpetuadas pela sua capacidade de fascinar. “Por conta disso OLHARES DE PERFIL – O MITO GRETA GARBO é um espetáculo imagético”.

Sobre o elenco:
Roberto Cordovani. Ator, autor, diretor e produtor paulista começou a atuar com 15 anos de idade. Com mais de 45 espetáculos teatrais na carreira – Amar, Verbo Intransitivo; A Dama das Camélias; O Retrato de Dorian Gray; Isadora Duncan (A Revolução na Dança); Orlando; Eva Péron, o espetáculo; entre outros – recebeu prêmios
de melhor ator em Londres (Inglaterra), Madri e Santiago de Compostela (Espanha). Em 2016 integra o elenco do musical A Paixão Segundo Nelson – uma farsa musical brasileira, de Zeca Baleiro e no ano seguinte é convidado
para a novela Novo Mundo (TV Globo) no papel do vilão Sebastião Quirino. Ruben Gabira Ator, cantor e bailarino, iniciou sua carreira em São Paulo, no musical A Chorus Line, de Michael Bennet em 1983. Desde então tem trabalhado entre Rio de Janeiro, São Paulo e Europa, com destaque para os musicais Priscilla, a Rainha do Deserto (indicado como melhor Ator ao Prêmio Bibi Ferreira) Não Fuja da Raia e De Pernas pro Ar, ao lado da atriz Cláudia Raia, Kiss me Kate, Se meu Apartamento Falasse e A Noviça Rebelde. Na TV Globo participou das
novelas Novo Mundo (Mordomo Schultz) e Verão 90 (Elô a empresária dos Tigres Siberianos).

Alan Ferreira
Ator, cantor e educador, começou a atuar com 7 anos de idade e aos 18 anos iniciou seus estudos de teatro na escola Macunaíma. Atuou em Gota D'Água, de Chico Buarque; Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues; A Dama das Camélias, ao lado do ator Roberto Cordovani; e na ópera La Bhoème, de Giacomo Puccini. Integrou o elenco de diversos curtas metragens e atualmente é educador na Escola de Teatro Novo Mundo, em Santo André.

Serviço:
OLHARES DE PERFIL – O MITO GRETA GARBO. Até 17 de outubro, sábados às 20h e domingos às 19h, no Teatro Commune.
Ingressos – R$ 60,00 e R$ 30,00 (meia-entrada) a venda no sympla.com.br. Reservas pelo telefone (11) 97768-8263 (as reservas precisam ser retiradas com 45 minutos de antecedência do início do espetáculo). Duração – 80 minutos. Recomendado para maiores de 16 anos.
TEATRO COMMUNE – Rua da Consolação, 1218. Telefone (11) 98867-2218.
Bilheteria – Abre uma hora e meia antes da apresentação.

Deixe uma resposta