Expedia Group: 6 em 10 turistas LGBTQIA+ cancelaram uma viagem por se sentirem inseguros

Uma nova pesquisa publicada hoje pelo Expedia Group revela que 6 em cada 10 norte-americanos da comunidade LGBTQIA+ cancelaram ou alteraram os planos de uma viagem ao se sentirem inseguros por conta de sua identidade de gênero ou orientação sexual. Patrocinado pela Orbitz, uma marca do Expedia Group, e produzido pela OnePoll, o estudo “Representatividade Importa” explorou hábitos de viagem e analisou a importância da representatividade LGBTQIA+ na mídia. Para o levantamento foram entrevistadas 2.000 pessoas da comunidade LGBTQIA+ que moram nos Estados Unidos.

foto
Reprodução

Ao serem questionados sobre o processo de planejamento de uma viagem, 20% disseram que “sempre” pesquisam um destino para saber se o local é amigável à comunidade LGBTQIA+. Para 58%, os viajantes LGBTQIA+ investem mais tempo em pesquisas sobre destinos e acomodação do que viajantes heterossexuais. A pesquisa também demonstrou que, para muitos da comunidade LGBTQIA+, viajar, participar de uma entrevista de emprego e conhecer alguém novo são os principais momentos em que sentem a necessidade de esconder sua identidade.

Os entrevistados, no entanto, não irão desistir de seus planos de viajar. Aproximadamente metade (48%) planeja participar de alguma Parada do Orgulho LGBTQIA+ este ano e, dentre estes, 66% afirmam que a primeira grande viagem pós-Covid será uma oportunidade para celebrar. “A semana que comemora o orgulho LGBTQIA+ é tipicamente um dos maiores eventos turísticos do verão [no Hemisfério Norte]. Com eventos presenciais ainda em aberto diante do relaxamento das medidas de contenção da pandemia, nós percebemos que muita gente irá celebrar seu orgulho localmente, em um primeiro momento, e deixar para viajar a um lugar novo ao longo do ano, quando esperamos que os grandes eventos sejam retomados”, afirmou a diretora de Marketing da Orbitz, Carey Malloy.

Representatividade Importa

A pesquisa também fez perguntas sobre a representatividade LGBTQIA+ na mídia – definida como “muito insuficiente” para dois terços dos entrevistados. Mesmo quando havia alguma representação, apenas um terço (31%) afirmou ter se deparado com uma caracterização “positiva” quando viram alguém parecido com eles na mídia. Para muitos, os aspectos negativos são suficientes para afastá-los: 39% pararam de consumir mídias específicas porque exploravam estereótipos negativos da comunidade LGBTQIA+.

Para 47% dos participantes da pesquisa, se ver representado na mídia ajudou no processo de aceitação de sua própria identidade. Algo que, para 63%, também auxiliou a se tornarem mais confiantes com suas identidades. 57% disseram que assistir a personagens LGBTQIA+ na mídia foi importante não apenas para si mesmos, mas também para que amigos e familiares próximos entendessem melhor sua experiência. De forma geral, 61% acreditam que a representação LGBTQIA+ é importante e 54% dizem o mesmo sobre representações interseccionais.

“Mais do que nunca, diversidade e representação autêntica deveriam ser fundamentais em nossa indústria”, disse Malloy. “A Orbitz foi uma das primeiras marcas do Turismo a dar visibilidade a viajantes LGBTQIA+ em material publicitário no início dos anos 2000. Cerca de 20 anos depois, está claro que produtores e marcas precisam fazer mais para promover uma discussão sobre representação que vá além do simples apelo e que conduza a mudanças significativas.”

Hotéis amigos da comunidade LGBTQIA+

Mais de 35 mil hotéis independentes, boutiques e de grandes redes assinaram um Compromisso de Inclusão que combate a discriminação por gênero e orientação sexual. Com isso, a Orbitz lança hoje uma nova função de pesquisa que aperfeiçoa o acesso dos viajantes a esses parceiros conscientes, fazendo desta uma importante ferramenta de pesquisa para os viajantes LGBTQIA+.

“A maioria de nós planeja uma viagem com a expectativa básica de que iremos encontrar um lugar para ficar em que podemos ser nós mesmos, mas esta não é a realidade para todos os viajantes atualmente”, diz Carey Malloy. “Mais de 25% dos entrevistados em nossa pesquisa afirmaram que sentem a necessidade de esconder sua identidade LGBTQIA+ ao viajar. Hoje, estamos ajudando-os a começar suas pesquisas de viagem com uma acomodação onde se sentirão bem-vindos.”

Os viajantes podem explorar as propriedades amigas da comunidade LGBTQIA+ em uma ferramenta de busca exclusiva no Orbitz.com/Pride ou então habilitar o filtro de hotéis LGBTQIA+ Friendly durante as pesquisas no Orbitz.com. Os hotéis signatários se comprometem a colocar em prática uma política de tolerância zero para comportamentos discriminatórios. Alguns hotéis LGBTQIA+ Friendly adotaram medidas suplementares, como treinamento de equipes sobre identidades de gênero e uso de linguagem neutra.

A pesquisa “Representatividade Importa” foi conduzida pela OnePoll, patrocinada pela Orbitz e contou com a participação de 2.003 representantes norte-americanos da comunidade LGBTQIA+. As entrevistas foram realizadas de forma online, entre 5 e 10 de maio de 2021.

 

Deixe uma resposta