GPTW: Cognizant entra para o ranking de 10 melhores empresas para pessoas LGBTQIA+ trabalharem

A consultoria global Great Place To Work (GPTW) classificou a Cognizant, uma das empresas líderes mundiais em tecnologia e negócios, como a oitava melhor empresa para membros da comunidade LGBTQIA+ trabalharem no Brasil em 2021. Realizada em parceria com a Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, a edição da premiação contou com a participação de mais de 100 corporações, que somam cerca de 300 mil colaboradores globalmente.

foto
Reprodução

A Cognizant não mede esforços para integrar diversidade ao seu quadro de colaboradores, incentivando a criação de grupos de afinidade internos focados na inclusão, que desenvolvem ações de conscientização e engajamento. É o caso do comitê Embrace, criado em junho de 2019 para auxiliar e acolher a comunidade LGBTQIA+ dentro da empresa, e que faz parte da estratégia de diversidade da Cognizant ao lado de outras iniciativas, como o WE (para mulheres), o Etnias (para religião e grupos étnicos) e o Unite (para PCDs).

“É a primeira vez que a Cognizant participa da premiação nessa categoria e estamos extremamente felizes pelo reconhecimento. Demonstra que estamos no caminho certo com nossos esforços para sermos globalmente uma empresa inclusiva. No entanto, sabemos que ainda há muito a se fazer, especialmente na formação e captação de talentos para compor um time amplamente diverso. Temos nos empenhado com ações e colaborações com ONGs para aumentar a empregabilidade da população LGBTQIA+”, revela Tatiana Romero, Líder de Recursos Humanos da Cognizant no Brasil.

A participação no Embrace é voluntária, o que torna o engajamento dos funcionários parte fundamental para o sucesso das ações realizadas. Entre elas, destacam-se publicações de conscientização em datas relevantes, como o Dia Internacional contra LGBTfobia, celebrado em 17 de maio, no qual a empresa postou nas redes sociais internas depoimentos de colaboradores sobre a importância de se ter aliados na luta contra o preconceito. Ainda nesse dia, o Embrace promoveu um webinar de mesmo tema, que contou com a participação do Google, Cargil, Bayer, Cogna e outros clientes.

Outras ações foram realizadas no LinkedIn e no Yammer. Por exemplo, no Dia Mundial do Rock, a Cognizant explicou a história do gênero e exaltou o Glam/Queer Rock como uma importante ferramenta para a liberdade de expressão da comunidade LGBTQIA+. Também foram publicados posts em diversas datas comemorativas, como no Dia da Memória Transgênera e no Dia Internacional do Orgulho Não-Binária. Além disso, threads foram criadas nas redes sociais para explicar de maneira clara e objetiva temas importantes como o significado das cores da bandeira do movimento gay e a importância da visibilidade transgênera, bem como da representação da diversidade na cultura pop, utilizando filmes e séries para contextualizar colaboradores sobre o tema, de maneira leve e divertida.

Barreiras para o público LGBTQIA+

A inserção e manutenção de profissionais LGBTQIA+ no mercado de trabalho brasileiro tem sido um desafio e isso é retratado em números. De acordo com dados de uma pesquisa realizada em 2021 pela consultoria de engajamento Santo Caos, 41% dos entrevistados gays afirmam ter sofrido discriminação por sua orientação sexual ou identidade de gênero no ambiente de trabalho. Além disso, 61% optam por esconder sua sexualidade de seus gestores e colegas.

Outro dado alarmante revelado pela pesquisa é o de que 33% das empresas brasileiras não contratariam pessoas LGBTQIA+ para cargos de liderança. Em contrapartida, segundo um estudo realizado pela Câmara de Comércio LGBT e conduzido pela Universidade de Marquette, nos Estados Unidos, 61% das empresas entrevistadas têm um ou mais profissionais em cargos de liderança.

Para os pesquisadores, os impactos que a composição de times diversos têm nas organizações são facilmente notados. Além de alcançarem melhores resultados no geral, também foram percebidas melhorias na performance dos funcionários e uma maior responsabilidade social no ambiente corporativo.

 

Deixe uma resposta