Kraft Heinz implementa licença parental para casais homoafetivos e licenças maternidade e paternidade estendidas

A Kraft Heinz, multinacional do ramo de alimentos e detentora das marcas Heinz e Quero no Brasil, implementou uma nova política de licença parental, voltada aos seus colaboradores que formam casais homoafetivos e que vierem a ter filhos. Os funcionários terão direito a 180 dias de licença após o nascimento do bebê ou adoção da criança, seguidos da opção de trabalhar no regime de teletrabalho até o primeiro ano de vida da criança.

foto
Reprodução

Além disso, entre outros projetos voltados ao trabalho flexível, estão o aumento da licença maternidade para mães em todas as composições familiares, que também terão acesso aos mesmos direitos dos casais homoafetivos, e a ampliação da licença paternidade, na qual pais em todas as composições familiares terão 30 dias de licença e a opção de trabalhar em teletrabalho até os 3 meses de vida da criança.

Essas políticas, somadas a outras ações, corroboram o processo de transformação cultural na Kraft Heinz. A companhia visa consolidar uma cultura cada vez mais focada nas pessoas agregando a visão People Centricity ao negócio.

“Estamos passando por uma grande transformação cultural na empresa e temos o papel de agentes da mudança na vida de nossos colaboradores. O intuito dessas iniciativas é olhar para as pessoas de forma completa, incentivar a paternidade ativa e nos tornarmos um ponto de apoio para elas. Quando um profissional tem mais tempo com a família e um equilíbrio maior entre vida pessoal e profissional, entendemos que ele também tem um desempenho melhor em suas funções no trabalho”, explica Flavia Caroni, VP de People Latam da Kraft Heinz.

Compromissos em Diversidade & Inclusão

Um dos pilares que também norteiam a transformação cultural dentro da multinacional são as ações afirmativas em prol da Diversidade, Inclusão e Pertencimento que estão ajudando a companhia a alcançar seus compromissos firmados até 2023. Entre as metas previstas estão ter 10% de pessoas LGBTQIA+ em seu quadro de funcionários, 50% de mulheres em toda a empresa, duas metas que já foram alcançadas; além de 50% de mulheres em cargos de liderança e 56% de pretos e pardos. Outras atividades internas auxiliam na conscientização por maior equidade junto a todos os funcionários, como as formações para líderes, discussões abertas com colaboradores e grupos de afinidade, recrutamento ativo de pessoas pretas e pardas, LGBTQIA+ e pessoas com deficiência e ações sobre mudanças necessárias.

Além do lançamento do programa de licença parental, recentemente a KHC lançou seu programa de estágio 2022 “Geração de Transformação”, voltado a jovens pioneiros em suas famílias a terem acesso aos estudos no Ensino Superior, e também realiza um programa de mentoria social em parceria com a plataforma Learn to Fly e o Instituto Social para Motivar, Apoiar e Reconhecer Talentos – Ismart, atuando no desenvolvimento de jovens a partir de trocas e vivências voltadas ao mercado de trabalho. Em adição às iniciativas de 2021, em junho, a multinacional se tornou signatária do Mover (Movimento Pela Equidade Racial), que uniu em seu lançamento 45 empresas compromissadas a gerar 10 mil cargos de liderança para pessoas negras até 2030, com investimento financeiro e capacitação.

“Entendemos que um dos papéis das organizações é representar, de fato, a sociedade em que estão inseridas. Profissionais talentosos podem ser encontrados em todos os recortes da sociedade, independente de origem étnica, orientação sexual ou viés social”, finaliza a executiva.

 

Deixe uma resposta