LGBTQIA+: Brasileiros assumem liderança para promover inclusão em grupo de multinacional de tecnologia

Gerar valor para os clientes, parceires e funcionáries é uma característica que, embora todas as empresas queiram, poucas realmente conseguem. A Pegasystems Inc. (NASDAQ: PEGA), empresa de software que elimina a complexidade nos negócios, investe constantemente em projetos internos globais de diversidade e inclusão para aproximar os funcionáries, espalhades em vários países, mostrando que as diferentes culturas, orientações sexuais, identidades de gênero e etnias – presentes nos mais de 6.000 funcionáries em todo o mundo – são características que devem ser somadas e valorizadas dentro da organização. Um dos projetos é o Pride@Pega, grupo interno global que promove a agenda LGBTQIA+ na instituição, liderado pelos brasileiros Luiz Felipe Barbalat e Pedro Mulbak, muito orgulhosos de fazerem parte do projeto, principalmente por representarem a comunidade LGBTQIA+ brasileira na discussão. Ambos querem que a empresa se torne referência para outras companhias quando o assunto é diversidade e inclusão, para que todes es funcionáries sintam-se livres e acolhides.

À frente das ações de impacto social, Barbalat quer aculturar as lideranças de todas as regiões que a Pega está inserida. “Quero enfatizar a importância das temáticas de inclusão e LGBTQIA+, transformar nossos cases de sucesso nestes quesitos em chamariz para atrair talentos e aproximar ainda mais de nós (Pega) os clientes que se identificam com a nossa comunidade”, enfatiza o líder. 

Barbalat afirma, inclusive, que já perdeu oportunidades de ascensão na carreira por ser gay, sendo uma realidade de muitos brasileiros. “Em outras experiências profissionais, perdi promoções por ser gay. Aqui na Pega a realidade é bem diferente, sei que eu, assim como outres, temos muitas chances de crescimento profissional, independentemente da nossa orientação sexual”, diz ele. 

Já o Mulbak, tem a intenção de gerar mais visibilidade para a Pega no mercado e fazer com que a empresa ganhe renome quando o assunto é diversidade. “Para 2022, quero que a Pega se torne referência de mercado em Diversidade e Inclusão. Meu desejo é que sejamos reconhecides como um lugar de afirmação para todes, com grande oportunidade de ascensão não só para a comunidade LGBTQIA+, mas também para pessoas negras, mulheres e demais grupos que ainda são marginalizados no mercado de trabalho”, afirma. 

 

Reconhecimento dos brasileiros no mercado

Recentemente, a Human Rights Campaign Foundation concedeu à Pega uma pontuação de 95 de 100 no seu Índice Anual de Igualdade Corporativa, uma das principais referências para medir as políticas e práticas corporativas relacionadas à igualdade LGBTQIA+ no local de trabalho. 

A Human Rights Campaign Foundation é o braço educacional da Human Rights Campaign (HRC), a maior organização de direitos civis da América que visa alcançar a igualdade para pessoas lésbicas, gays, bissexuais, transgênero e queers.  

“Reconhecimentos como estes indicam que estamos no caminho certo e são reflexo da realidade que já vivemos na empresa. Sabemos que ainda há muito a ser feito, por isso nosso trabalho é contínuo”, conclui Mulbak. 

Esse é o primeiro ano em que a Pega participa desta pesquisa, que classificou 1.271 grandes empresas americanas, representando 38 milhões de funcionáries, não só brasileiros, mas do mundo inteiro. A fundação pontua as empresas com base em suas políticas de não discriminação, de benefícios equitativos para funcionários LGBTQIA+ e suas famílias, de apoio ag uma cultura inclusiva e de responsabilidade social corporativa. 

One thought on “LGBTQIA+: Brasileiros assumem liderança para promover inclusão em grupo de multinacional de tecnologia

Deixe uma resposta