Parada LGBTI+ de Cabo Frio terá pesquisa de público inédita

Objetivo é traçar um perfil dos visitantes para melhorar a experiência turística e econômica na cidade

LEIA TAMBÉM

- Publicidade -
- Publicidade -

Pela primeira vez, em 18 anos, a Parada do Orgulho LGBTI+ de Cabo Frio vai promover uma pesquisa inédita na cidade. Realizada pela ONG Iguais e Prefeitura de Cabo Frio através do Observatório de Turismo da Secretaria Municipal de Turismo, o objetivo é estimar o impacto econômico dos visitantes, além de analisar o perfil da demanda, suas percepções e avaliações sobre o evento, ajudando a melhorar a experiência turística em eventos futuros. Para isso, 20 entrevistadores estão sendo selecionado. Todos passarão por treinamento.

Este ano a parada LGBTI+ terá como tema “Nossa existência é singular, mas nossa luta é plural. Todes contra a LGBTIfobia!“. O evento vai integrar a Semana da Diversidade, somando-se a outros eventos como prêmio Sou+ Diversidade, Rodas de Conversa, entre outros, culminando na manifestação na orla da Praia do Forte, que pela primeira vez acontecerá em dois dias: 9 e 10 de setembro (aproveitando o feriado prolongado da Independência do Brasil).

“A gente sabe que a parada aumenta o fluxo de visitantes de Cabo Frio, a taxa de ocupação hoteleira, a utilização dos serviços relacionados à atividade turística e incrementa a arrecadação de impostos do município, mas precisamos entender melhor essa demanda turística e o impacto econômico da atividade na cidade para que possamos, em eventos futuros, fazer um melhor planejamento, ordenamento e controle assim como maximizar os recursos na captação dos futuros eventos. Por isso essa pesquisa é muito importante não só pra gente, mas principalmente para os comerciantes que têm no turismo a oportunidade de aquecer as vendas e movimentar mais a hotelaria. Com esse trabalho nossa expectativa é identificar o perfil da demanda e os motivos que levaram os turistas e excursionistas a visitarem o evento; levantar informações referentes aos gastos dos turistas com hospedagem, alimentação, compras, atrativos turísticos e com o evento, e também avaliar a percepção do visitante e a sua experiência na parada LGBTI+”, informou Glauce Bizzo, coordenadora do Instituto Iguais.

Ainda segundo ela, o impacto econômico será medido através do gasto total do turista na viagem e desmembrado em gastos específicos de hospedagem, alimentação, transporte, atrativos / passeios e compras, “nos permitindo entender o efeito multiplicador do turismo e seus impactos econômicos diretos, indiretos e induzidos”.

Para o trabalho, a ONG Iguais e o Observatório do Turismo vão adotar a metodologia do “Manual de Metodologias em Turismo 2022”, desenvolvido pelo Grupo de Trabalho de Metodologia da Rede Brasileira dos Observatórios do Turismo. Por se tratar de um evento que recebe uma heterogeneidade de visitantes e para um entendimento do perfil dos entrevistadores, serão utilizados os conceitos da Organização Mundial do Turismo (OMT) para identificação dos visitantes, turistas e excursionistas. Esta distinção, segundo Glauce, é necessária “porque o visitante de um dia vem para a cidade apenas com objetivo de passear nos atrativos ou curtir a praia. Já o turista pernoita no destino, ampliando seus gastos com hospedagem, alimentação e demais serviços do turismo”. O resultado da pesquisa está previsto para ser anunciado em outubro.

Parada LGBTI+ de Cabo Frio terá pesquisa de público inédita
Parada LGBTI+ de Cabo Frio terá pesquisa de público inédita – Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- Publicidade -

Latest News

A importância do marketing inclusivo na indústria de viagens

O marketing inclusivo tornou-se uma peça fundamental na estratégia das empresas que buscam se destacar no mercado atual

More Articles Like This

- Publicidade -