Museu da Diversidade Sexual prepara ampliação

O Museu da Diversidade Sexual (MDS), instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e atualmente sob gestão do Instituto Odeon, iniciará a partir de maio o processo de ampliação anunciado em 2021 pelo Governo do Estado. A instituição museológica, primeiro equipamento cultural da América Latina dedicado à população LGBTQIA+ – e que comemora 10 anos em 2022 – receberá um novo espaço, além da ampliação do atual, com novos instrumentos, expandindo o potencial de frequência, promovendo o resgate histórico, a transformação social e o desenvolvimento pleno da comunidade, garantindo sua visibilidade e reforçando a potência e o protagonismo enquanto espaço cultural.

Expansão da atual sede

A atual sede do Museu, situada na Estação República do Metrô, aumentará de 100 m² para 540 m² e contará com uma sinalização que sobe também para a superfície, na saída voltada ao Largo do Arouche, território político, social, artístico, cultural, turístico, econômico e histórico da comunidade LGBTQIA+. Com a expansão, a instituição museológica trará exposições multimídia de longa duração, exposições temporárias e eventos.

A mostra Orgulho e Resistências: LGBT na Ditadura encerra em 17 de abril. A sede ampliada tem previsão de reabertura para outubro deste ano, com uma exposição de longa duração sobre a História LGBT no Brasil, com curadoria de Marcelo Campos e Amara Moira, além de uma mostra de curta duração sobre arte queer na América Latina.

Como uma atividade de despedida, a partir do dia 30 de abril, o Museu recebe Duo Drags, uma breve mostra fotográfica expositiva, com curadoria de Jean Cavalcante, com fotografias de drags históricas, famosas e também iniciantes, e que marca o lançamento do livro Drags, de Paulo Vitale.

Arte digital e extramuros

No ano de 2020, durante a pandemia, quando as instituições culturais tiveram de migrar para o mundo virtual, o MDS foi o segundo mais procurado, com 2,3 milhões de acessos, atrás apenas da Pinacoteca. Durante o período de reforma, o Museu da Diversidade Sexual seguirá vivo e atuante nos meios digitais e extramuros.

Serão inauguradas três novas exposições digitais este ano, selecionadas a partir de edital público. Quatro seguem vigentes no site  da instituição e podem ser visitadas a qualquer momento: Queerentena Expira, Queerentena Inspira, Resetar e Orgulho Ocupa a Rua. O seminário Museu da Diversidade Sexual: a escuta e a construção de novos caminhos, que ocorreu em março em parceria com o Centro de Pesquisa e Formação do SESC, também será disponibilizado na íntegra no canal do Museu no YouTube.

Além disso, a programação física do Museu também contará com eventos educativos, jornadas pelo território LGBTQIA+ no entorno e exposições itinerantes para outras cidades do Estado.

Museu da Diversidade Sexual prepara ampliação
Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *