Cantora Mini Lamers lança single com participação de Bemti

Com produção de Tejo Damasceno, a cantora e compositora Mini Lamers lança, no dia 2 de dezembro, quinta-feira, às 20h, o single No Escuro, com clipe disponibilizado ao público dia 3 de dezembro, sexta-feira, ao meio-dia. A canção, que antecipa uma das faixas do CD inédito Luta ou Fuga, tem participação especial do cantor e compositor mineiro Bemti e poderá ser acessada por meio de todas as plataformas digitais.

foto
Reprodução

Escrita por Mini, a faixa fala sobre distanciamentos silenciosos entre amigos. “Escreve-se muito sobre corações partidos e questões existenciais, porém, quando penso em amizades, não sei o que seria de mim sem uma rede de apoio. Infelizmente às vezes os rumos se desencontram, às vezes só um lado continua tentando quando o outro já se desconectou sem aviso prévio. Não invalido as escolhas individuais, as pessoas têm fases, mas o tempo passa e a gente precisa curar os lutos, criar novos laços e deixar o passado no passado”, comenta a artista.

Dirigido por Caio Oviedo e Carla Zanini, o clipe ilustra esse desencontro, a perda da intimidade dentro de um espaço físico tão pequeno através de uma montagem com um jogo de cenas de ações que simbolizam um afastamento e esgotamento da relação entre os dois personagens. A principal referência do trabalho visual é a estética crua, teatral e desprovida de cenários do filme Dogville, de Lars Von Trier.

A ponte entre Mini e Bemti foi feita por Nana Rizinni, co-produtora do disco de Mini que, por já ter trabalhado com ambos, identificou uma semelhança entre a escrita melancólica de Mini e Bemti. “A Mini me chamou antes da pandemia para participar da No Escuro com ela e, de cara, duas coisas me chamaram pra música: a sonoridade, que é um synth-pop bem diferente do que eu costumo fazer, mas com uma sensibilidade que conversa bastante com meu trabalho, e a temática. O clipe é um jogo de imagens que foi divertido de executar e que, por algum motivo, me lembra Desventuras em Série. Talvez algo nesse clima soturno mas fraternal de pessoas quebradas tentando se ajudar de alguma forma”, conta Bemti.

Nascida em Santos e radicada em São Paulo, Mini Lamers começou sua carreira musical em 2006 com a dupla feminina Comma, fundada com Didi Cunha. Depois de 10 anos, estreou seu trabalho solo no Sonora, em São Paulo, festival internacional de compositoras, apresentando seu primeiro single, Quem Manda Aqui É o Coração, pop rock e hino contra a homofobia produzido por Raphael Mancini.

Desde então, tocou em diversas casas de shows e festivais, como Girls Rock Camp, Festival MECA, Paulistanas, Virada Cultural SP, etc. Na televisão, Mini integrou o programa Lounge, do canal Bis (2018), onde interpretou canções da MPB e do rock junto a outras cantoras nacionais como Ana Cañas, Tássia Reis e Izzy Gordon.

Em 2021, lançou o mini EP Quiet For a Bit, composto por duas músicas que se tornaram tema da série LGBTQIA+ Seus Olhos, disponível nas plataformas Amazon Prime, Vivo Play e Net Now. A série foi contemplada com Prêmio Rio Web Fest 2020 na categoria de melhor trilha sonora.

Essas duas músicas (Quiet for a bit e Mesmo que Alguém te Surpreenda) integram, ao lado de No Escuro, o álbum solo Luta ou Fuga, produzido por Tejo Damasceno e Naná Rizinni. Além de Bemti, o disco também terá participações de Monica Agena, Dessa Brandão, Didi Cunha e Geanine Marques.

Sobre Bemti

O mineiro Bemti iniciou seu projeto solo em 2018 com o lançamento de singles e do disco era dois, com participações especiais de Johnny Hooker, Tuyo e Natália Noronha, e foi escolhido um dos melhores discos do ano pela Rolling Stone Brasil e diversas outras publicações musicais. Com a turnê do disco, se apresentou em nove estados e três países, inclusive em importantes festivais, como o Bananada, Timbre e um show esgotado em Buenos Aires no início de 2020. O artista já ultrapassou 2,5 milhões de plays somente no Spotify. Em 2019, lançou o single inédito Faísca, parceria com Tiê e o coletivo Falso Coral, e foi selecionado no edital Natura Musical para realizar seu segundo disco, Logo Ali, lançado em setembro de 2021 e com participações de Fernanda Takai, Jaloo, ÀVUÀ, Josyara, Murais e uma extensa lista de colaboradores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *